Alerta! Estudo indica 392 mil fungos e bactérias em climatizadores e 22 mil em umidificadores

Um estudo realizado pela Faculdade de Biomedicina da UniMetrocamp, em Campinas (SP), constatou até 392 mil fungos e bactérias em climatizadores e 22 mil microorganismos em umidificadores de ar. As pesquisadoras da instituição relatam surpresa com quantidade verificada nas análises e fazem um alerta para evitar contaminações durante uso no inverno.

As bactérias e fungos foram encontrados tanto na saída de ar das máquinas, quanto nos reservatórios de água. No caso específico dos umidificadores, os microorganismos estão relacionados às doenças respiratórias registradas com frequência nesta época do ano.

A recomendação da pesquisadora para evitar contaminações é ter cuidado com a limpeza dos climatizadores e umidificadores.

Para saber mais, clique aqui.

Fonte: G1.

Anúncios

Micróbios em vulcões na Etiópia ajudariam a encontrar vida em Marte

Um time de pesquisadores da Espanha, Itália e da Etiópia estudou uma área geotérmica etíope e descobriu um tipo de micróbio que ajudará os cientistas a investigar a possibilidade de existir vida em condições extremas, tais como as encontradas em Marte.

Foram coletadas amostras do vulcão Dallol e de uma piscina hidrotermal na Depressão de Danakil, região que fica a 125 metros abaixo do nível do mar e é um dos locais mais quentes do mundo. O local é tão hostil, que foi comparado com as condições de Marte.

Os cientistas acharam evidências de micróbios da classe Nanohaloarchaea, que eram tolerantes às condições da região e mediam no máximo 500 nanômetros, sendo 20 vezes menores do que uma bactéria.

Essas criaturas podem nos apontar os segredos de como a vida pode persistir nos ambientes mais inóspitos, como em Marte.

Fonte: Galileu.

Anunciado o lançamento da edição 2019 dos editais Cientista e Jovem Cientista do Nosso Estado

A FAPERJ lançou na última quinta-feira (30), a versão 2019 de dois de seus editais mais aguardados: Cientista do Nosso Estado e Jovem Cientista do Nosso Estado. Ambos os programas concederão bolsas mensais, por até 36 meses, para que os pesquisadores possam executar seus projetos.

A submissão de projetos para o programa Cientista do Nosso Estado e Jovem Cientista do Nosso Estado poderá ser feita até o dia 11 de julho. A divulgação dos resultados para ambos os editais está prevista para ser realizada a partir de 1º de outubro.

Confira também:

Edital Cientista do Nosso Estado (CNE)

Edital Jovem Cientista do Nosso Estado (JCNE)

Para mais detalhes, clique aqui.

Fonte: FAPERJ.

X CECI 2019

 

CECI

 

O Sistema de Bibliotecas e Informação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (SiBI/UFRJ) convida a todos para o 10º Ciclo de Estudos em Ciência da Informação (CECI). Esse ano, o evento está ainda mais especial, pois comemora também os 30 anos de existência do SiBI.

Para participar do evento e conferir de perto as palestras e trabalhos que serão apresentados faça já a sua inscrição, clicando aqui.

Fonte: SiBI/UFRJ.

Entenda como os alimentos e micróbios ajudam a cicatrizar lesões graves

Comer os alimentos certos e receber a ajuda de micróbios amigáveis que vivem em nosso próprio corpo podem ser instrumentos tão poderosos quanto os bisturis dos cirurgiões na hora de tratar de lesões graves. Esses ferimentos são o tema do V Simpósio Internacional de Inovações Tecnológicas e Tratamento de Lesões, que acontece no Rio de Janeiro, de 31 de agosto a 1 de setembro.

Acessando a matéria conheça a influência de diversas microbiotas do corpo na saúde e no processo de cicatrização, como evitar infecção de lesões, tratamentos mais eficazes, entre outras coisas.

Fonte: O Globo.

 

Cientistas desenvolvem micróbio transgênico que ‘come’ plástico jogado no mar

Cientistas descobriram que micróbios marinhos microscópicos estão corroendo o plástico, fazendo com que o lixo se decomponha lentamente. O trabalho reuniu sete cientistas da Grécia, da Suíça, da China, da Itália e dos Emirados Árabes.

A equipe usou duas amostras de micróbios: parte deles eram naturais, que já são encontrados nos oceanos; a outra parte eram projetados em laboratório, foram aprimorados com partes de micróbios comedores de carbono.

Ambos os tipos de plástico perderam uma quantidade significativa de peso depois de serem expostos tanto aos micróbios naturais quanto aos projetados. Os micróbios fizeram com que o peso do polietileno diminuísse em 7% e o peso do poliestireno diminuísse em 11%.

Essas descobertas podem oferecer uma nova estratégia para ajudar a combater a poluição dos oceanos: implantar micróbios marinhos para devorar o lixo.

Para saber mais, acesse a notícia, clicando aqui.

Fonte: O Globo.

Cientista brasileira vai criar kit único para detectar vírus, bactérias e fungos

A equipe liderada por Rosane Silva, professora associada da UFRJ e chefe do Laboratório de Metabolismo Macromolecular Firmino Torres de Castro, que pertence à universidade, está numa fase avançada para a criação de kit único para detectar vírus, bactérias e fungos.

Tal kit, que terá inúmeras vantagens em relação aos já disponíveis no mercado, irá atender a pacientes que estão em situação delicada. Com ele, os médicos terão os resultados em 24 a 72 horas.

Produto poderá estar disponível em 24 meses.

Para mais informações, clique aqui.

Fonte: G1. Bem Estar.

 

 

Workshop DivulgaMicro

59730167_335856993787154_5807019010822242304_n

A programação da temporada 2019 do Worshop DivulgaMicro de Comunicação e Divulgação Científica já está no ar (vide imagem)!

Os eventos fornecerão dicas para escrita de artigos científicos, confecção e apresentação de pôsteres, preparação de apresentação oral, bem como recursos para divulgar e popularizar a ciência no Brasil.

O conteúdo oferecido no Workshop DivulgaMicro é baseado em material produzido e oferecido pela American Society for Microbiology (ASM).

Para mais informações, clique aqui.

Ajude a UFRJ a combater fake news

Leu algo ofensivo sobre a UFRJ? Está em dúvida sobre a veracidade da informação?
Desconfia de que se trata de calúnia ou difamação? Avise-nos!

Ao preencher o formulário, você contribui para a Instituição ficar atenta e reunir o conteúdo que circula pelas redes.

Para ter acesso, clique aqui.

Participe, precisamos defender a universidade pública!

Fonte: UFRJ.

 

Equipe do Cefet/RJ e UFRJ conquista 1º lugar no ‘Invent for the Planet 2019′

Equipe composta por estudantes de graduação e de pós-graduação do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet/RJ) e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) ganhou primeiro lugar na competição internacional Invent for the Planet 2019 que aconteceu nos dias 23 e 24 de abril nos EUA.

A Equipe foi a única do hemisfério sul selecionada como ‘Global Top Five’ para a etapa final e, na ocasião, concorreu com outras quatro equipes dos EUA, Grécia e Reino Unido.

O Invent for the Planet 2019 é uma competição internacional de grande destaque organizada pela Texas A&M University dos EUA. Na edição de 2019, a competição envolveu a participação de mais de 600 alunos de graduação e pós-graduação de 25 universidades de 16 países, distribuídos em cerca de 100 equipes.

As equipes eram responsáveis por, em um período de 48 horas, elaborar soluções para problemas que o nosso planeta vem enfrentando. Ao final das 48 horas, cada equipe teve que fazer a apresentação da solução para o problema escolhido com indicação de dados técnicos e de viabilidade econômica, juntamente com a apresentação de um protótipo.

A equipe ‘Tupã’ do Cefet/RJ e da UFRJ criou um sistema composto por um boné e um bastão equipados com sensores ultrassônicos que acionam dispositivos de vibração para auxiliar pessoas com deficiência visual. Trata-se de um sistema de baixo custo e com potencial para substituir de forma mais eficaz e eficiente os atuais mecanismos utilizados por esse público-alvo.

Para mais informações, clique aqui.

Fonte: FAPERJ.